“Nada pode ser mais prazeroso pra mim do que entrar na calça que eu queria”

[…] é muito bom saber que a Meta Real e eu [orientadora] estamos conseguindo contribuir de alguma forma para sua melhoria pessoal e na sua qualidade de vida também. O que disponibilizamos na rede é uma amostra do trabalho que fazemos nas aulas presenciais. Espero que realmente você possa participar em breve para pode sedimentar o processo de emagrecimento e de manutenção do peso conquistado. 

LÉIA LILIAN SOLINO SOARES

On 23 de mai de 2016, at 04:23, LÉIA LILIAN SOLINO SOARES <leia… [at]gmail.com> wrote:

LÉIA LILIAN SOLINO SOARES

Olá, estou para te mandar este e-mail, já faz algum tempinho, mas nunca dá tempo por causa do meu pequeno (rsrs). Meu nome é Léia e fui indicada por Débora Ferreira, que é uma amiga em comum. A princípio, quando ela me apresentou a você [orientadora] especificamente e a Meta Real por tabela, confesso que dei uma olhada, mas passou batido. Embora estivesse gorda, tinha certa resistência não às suas dicas, mas ao fato de estar em uma crise depressiva e consequente resistência.

Bom! Sofro com sobrepeso, desde a adolescência (tenho 30 anos agora), precisamente desde os 15 anos e sempre com 5 quilos a mais. Não passava disso. Meu peso ideal desde a adolescência eram 55 quilos e nunca conseguia chegar a esse peso… sempre ficava com 60 ou 65. Até aí, julgo hoje em dia, e por instrução, normal. Mas na época e por interferência dos meus pais, sempre buscava por emagrecer via ajuda com médicos e nutricionistas e acabei usando diversos moderadores de apetites que trouxera graves consequências nos dias de hoje – na época, nem sonhava que isso existia (me faltava informação, e se quer conhecimento algum).

Fiz todos os tipos de dietas e loucuras possíveis e impossíveis.

Nesta época de uso dos medicamentos conseguia emagrecer, e aos 18 anos consegui pesar 55 quilos. Durou 1 ano! Depois, fui engordando aos poucos. Com 25 anos estava obesa e com um peso que nunca tinha chegado antes: 113 quilos.

Sem dinheiro pra fazer os medicamentos, descobri enfim que a perda constante de memória recente estava cada vez mais frequente, pude observar, graças a minha percepção e a pessoa maravilhosa que conheci, meu marido (psicólogo e amigo), que […] o efeito colateral a bendita depressão, enxaquecas terríveis, intermináveis e incuráveis

[…] falarei agora da parte boa (rsrs)! Meu marido sempre fez de tudo nesses 6 anos pra que eu encontrasse a felicidade que eu havia perdido […]

Enfim…! Então a Débora me falou sobre vocês e passei a acompanhar tudo que publicavam, hangouts, tudo o que tinha de “gratuito”, pois como estou desempregada e passando por dificuldades financeiras […] e algumas coisas foram “entrando”, na minha cabeça e se fixando — não só pra emagrecer, mas para vida mesmo. Comecei a olhar com frequência as coisas do site, da sua página, Facebook e blog… desde novembro de 2015.

Vale ressaltar que uma frase sua que ficou na minha cabeça num dos hangouts e que não sai de jeito algum é: “Nada pode ser mais prazeroso na minha vida do que entrar na calça que queria. [Roseli Luz]”. Fiquei pensando nisso há dias e dentre outras frases e “conselhos”, passei a entender de uma vez por todas que eu tenho que seguir isso, que no fundo eu sempre soube o que me fazia engordar e me fazia mal: o bendito doce e que as outras coisas consigo controlar, mas os doces de jeito algum (pra mim são como drogas). Também li um estudo científico recente que diz que a abstinência de doces é de 4 meses e que depois disso a pessoa consegue controlar com facilidade, mas até lá demora.

Sendo assim, peguei então o prato de brigadeiro que tinha acabado de fazer, numa madrugada e joguei no lixo. Disse pra mim mesma: “você [doce] não pode ser mais forte que eu, não vou mais comer doce e vou emagrecer”… e sempre me vinha a frase: “nada pode ser mais prazeroso pra mim, do que entrar na calça que eu queria”.

Fazem dois meses que eu parei de comer doces e estou controlando a alimentação, fazendo como vocês ensinam: apenas 3 refeições diárias. E advinha! Já emagreci 10 quilos em 2 meses e estou conseguindo entrar nas calças que já não me cabiam mais. Estou muito feliz com os resultados!!!

Assim que eu puder, vou sim fazer o método da Meta Real. Quero dizer que que acima de tudo (dentre todo esse conhecimento que adquiri durante esses 15 anos tentando emagrecer, que sei quais alimentos devo comer, alimentação saudável e balanceada), farei o método como acompanhamento e manutenção […]

Quero agradecer muito, porque foi com o apoio indireto da Meta Real e em específico seu [Roseli Luz], com os artigos, conselhos e hangouts que consegui tomar um rumo na vida e uma posição. Sobretudo entender que não é somente emagrecer pra perder os quilos que estão faltando, mas entender que é um exercício diário, a cada minuto, a cada segundo e que será pra sempre assim – não só até eliminar esses quilos […] Muito obrigada mesmo.

Ah! Logo terei a prova de fogo: um aniversário infantil que meu filho foi convidado. Vou vencer! Não há mais o que não me fará vencer!!!

Obs: Estava pesando 112 e estou pesando 102!!!

1 comentário

  1. Raquel Ramos

    Puxa Léia, emocionante seu depoimento… Nós estamos conseguindo atingir as pessoas que ainda não frequentam as nossas reuniões e percebem que elas conseguem mudanças em suas vidas, basta acreditar! Você tem aí com você o seu corpo que te mostra o reflexo das suas decisões! Parabéns por suas primeiras conquistas pois muitas ainda virão… Conte conosco, um abraço Orientadora Raquel Ramos.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *